quarta-feira, 10 de julho de 2013

enquadramento

retângulo de ilusão que me atrai
a meio palmo, no ônibus, na aeronave
a meio metro, um pouco mais, no espaço da rotina

enquadramento rápido
por onde passa o filme curto que queria ter feito
e aquela pessoa que não pára

diante dela, tela, janela
quem se ilude, quem ilude, quem
observa cenas fluídas, vãs, ligeiras

a via que corta a cidade de oeste a leste,
a rua luminosa: bares, teatros, boates, frege
o centro antigo, a cidade baixa, a elite longe
a praia lotada, mais ao norte, os tons da gente em primeiro plano
quase ninguém pára

meu ouro para a mulher-em-close e sua pergunta certa
nada mais que minha pele-estojo na frente do cara

ilusão refeita
próxima tela, janela
ela

Um comentário: