terça-feira, 29 de outubro de 2013

da asa

não é toda asa que faz voar
dizem os anjos de procissão
quase sobre-humanos voadores
quase

há asas materiais inumanas
em mãos meninas voadeiras
viajantes

tem (não tem) as asas quebradas
sem graça
das xícaras de casa

se este não for o poema da asa
que outro seja

o poema dá asas

eu não perco a graça
fico em mãos voadeiras
voo, subo, viajo e até caio

muito além da procissão
que só vai de casa até à igreja

2 comentários:

  1. Adorei, a casa, a rua, as asas que nos levam pra todo canto.. bjo grande!!

    ResponderExcluir
  2. obrigado, querida. quero curtir seus poemas. bj

    ResponderExcluir