sexta-feira, 31 de outubro de 2014

na próxima vez

mate a curiosidade
tua quase minha
a que está por perto
pronta pra desaparecer

mate com as mãos
tuas quase minhas
embaixo da roupa
entre olho e pele

mate sem sangue ou dor
mate com o riso
mate e continue amigo

[em local apropriado
longe das crianças]



na próxima vez

quarta-feira, 8 de outubro de 2014

brinquedo

[para James Baldwin]

o amor diz à criatura de ferro para ir à frente
o céu mantém distância com seu quadro de luzes móveis
os brincantes metálicos dançam no jardim dos dias possíveis

a única criança parada imagina o ânima-jazz
nos arredores nem toda madeira continua árvore
são três dias de chão no terreno das folhas comuns

o quarto não sufoca quem ama
a parede guarda o sexo ainda que este não queira
o riso é bom
a paisagem espera