quinta-feira, 24 de setembro de 2015

dona

o caminho é dela
o caminho é ela

ela abre a paisagem
ela abre a passagem

dona das festas
do mundo de lá
dona dos vestidos
das taças e velas
do mundo de lá

o caminho é dela
o caminho é ela

para e gira na porta
da cidade partida
da cidade morta
da cidade viva

para e gira e fala do amor
que não deu certo
que não existiu
que não é amor

para e gira e fala do amor



terça-feira, 15 de setembro de 2015

o nome do corpo


quem sabe do corpo partido. da cabeça. do cérebro. dos neurônios. dos dreads. das voltas dos cabelos. do nervo ocular. da córnea. da íris. dos lábios. das narinas. da traqueia. da laringe. das orelhas. dos tímpanos. dos dentes. das próteses. dos pelos. dos óculos. dos brincos. das escarificações. dos adornos labiais. das miçangas. da roupa.

quem sabe do corpo partido. do fêmur. da espádua. das costelas. das tatuagens. das pinturas. do pescoço. dos ombros. dos cotovelos. das palmas das mãos. dos dedos. dos peitos. do sexo. de outras próteses. das cavidades. do coração. do estômago. dos intestinos. da espinha dorsal. dos joelhos. dos calcanhares. das coxas. das palmas dos pés.

quem cuida do corpo partido. das veias. do sangue. na hora boa. na hora da ira. na hora triste. na fronteira. no muro. na cerca. na margem. no limite de cada movimento. das marcas do tempo de criança. dos ferimentos à bala. na esquina. no beco. na viela. no semáforo. na enfermaria.

quem cuida do corpo partido. seccionado. descrito. inscrito. quem cuida de cada parte. quem escolhe. recolhe. toca. estende. descreve. inscreve. retrata. canta. redime. sob a folha. sobre a palha. sob o algodão. sobre o linho. quem sabe do bálsamo. quem embalsama e quem perfuma. quem cuida de quem cuida e de quem cura. quem leva.

quem vê o corpo partido. quem o vê somente em partes. quem duvida. quem rotula. quem soterra. quem despreza. quem tortura. quem corta. quem arrasta. quem expõe. quem exaspera. quem inspeciona. quem esconde. quem mente. quem lembra o nome do corpo inteiro. quem guarda o nome. quem dá o nome que faz sentido.

[com referência ao estandarte “Eu preciso destas palavras” de Arthur Bispo do Rosário, às canções “Ain’t got / I got life” do musical Hair e do repertório de Nina Simone e ao poema “Para uma eventual conversa sobre poesia com o fiscal de rendas” de Ricardo Aleixo]


sábado, 12 de setembro de 2015

o riscado

os céus não são os mesmos para todas as pessoas. nem as terras. nem os mares. é o que indica a estreiteza das janelas e das grades. a altura dos muros. o comprimento das cercas. o preço das viagens.
o rastro das coisas boas é feito de fios fortes que nem as tarrafas de pesca. as sandálias de vaqueiros. as rendas e as redes de algodão. os traços nas peles de yaôs. as escarificações. os desenhos de urucum e jenipapo.
marcado é o rosto de quem anda com antigas armas para o confronto nas cercas e nas grades. deixam um rastro no céu. outro no mar. outro no chão. marcado é o rosto de quem anda amante. por terrenos vincados por quem veio antes. pela destreza e pelas falas cortantes.
figura e letra com ou sem rima. canção sem bordão. cafuné e deleite em meio às rixas. pontas de estrelas riscadas. no céu. no mar. no chão.

outra coisa

céu é algo distante
nublado
estrelado
fácil de desenhar
riscado por aves e aeronaves
repleto de santidades
pintado em igrejas
é o oposto do inferno
cantado na prosa e no verso
céu é uma palavra curta e próxima
tem um encontro vocálico
requer explicações científicas
orum é outra coisa