domingo, 14 de fevereiro de 2016

re-feiçao

comi o pão de amanhã
bebi
não sei o quê
e o que fica
é o depois do dia, do pão
a sede retorna
certa fome
haja água
fruta qual
a erva do hábito

os temperos
trazidos em barcos, camionetes, braços, mãos
as folhas
os chás
os banhos
os ritos
quais

da mesa, esqueço a forma
na esteira, o prato é lembrança
haja receitas
em cadernos
em cabeças
quais

espero o grão de amanhã
a vitalidade liquefeita
a re-feição
ingerida
incorporada
qual
soube de quem comeu
de quem se foi
[inanição]
soube de quem ofereceu
quem

grão e pão
folha e palha
festa e quase silêncio
roupa e quase nudez
quando
o amanhã da feira, do mercado, da cidade
das comidas quais
das bebidas quais
ainda que falte

Nenhum comentário:

Postar um comentário