terça-feira, 8 de novembro de 2016

quanto ao tempo

quanto ao futuro
a boca falava em troco e no oco

quanto a apenas um dia
a boca dizia e desdizia o que preza, o que reza

quanto ao horizonte, havia quase ontem por dentro
o olho quis saber o que escrevia e via


viu o resto da noite e a réstia do dia

Nenhum comentário:

Postar um comentário